Digite o assunto que deseja pesquisar

Integração curricular



A maneira de construirmos conhecimento, de certa forma, nos define. Em outras palavras: se o conhecimento é apresentado na escola de modo fragmentado, se os componentes curriculares não se integram e não respondem a um projeto de educação que tenha como objetivo o desenvolvimento pleno dos estudantes, não será possível formar um sujeito pleno, integral.

Tão importante quanto a concepção de ser humano que se quer formar, é apresentar uma concepção do conhecimento relacional em que as áreas do conhecimento – e seus conteúdos, métodos e visões de mundo – possam ser apreendidos com maior integração.

Na área da Educação, propostas interdisciplinares, multidisciplinares e transdisciplinares são objetivos perseguidos para superar a fragmentação curricular, que, ao fazer com que as disciplinas sejam muito especializadas, acaba criando dinâmicas escolares nas quais cabe ao estudante, e não aos currículos, a tarefa de estabelecer pontes entre os conhecimentos.

Mas como integrar o currículo sem abrir mão das diversas formas de construção de conhecimento que as áreas carregam? O que fazer para tornar a aprendizagem mais significativa, conectando os conhecimentos com a vida?

Para que a integração curricular se concretizar de fato na escola, é necessário que o Projeto Político Pedagógico (PPP) anuncie novas formas de condução para a gestão e para o trabalho colaborativo entre professores. Uma das formas de fazer isso é instituir práticas comuns a todas as áreas, tanto no que se refere às metodologias ativas de ensino e aprendizagem (tais como a aprendizagem colaborativa, a aprendizagem por projetos ou a pesquisa e a problematização), quanto ao que diz respeito às estratégias de avaliação formativa e processual.

Como escrever

Integração curricular

Chegou a hora de colocar a mão na massa!

A seguir, veja algumas sugestões sobre como escrever sobre integração curricular em cada parte do texto introdutório do currículo. 

Essas ideias devem ser consideradas para orientar a escrita de todo o documento quanto à concepção das áreas, das didáticas, da formação continuada dos professores e dos estudantes que se pretende formar dentro da perspectiva da educação integral.

Anunciar as premissas para que a integração curricular seja um objetivo escolar é uma das funções do texto introdutório dos currículos dos estados e municípios.

Na parte de “Visão de estudante e de educação” do texto introdutório, vale discutir as consequências da fragmentação do conhecimento na constituição dos sujeitos.

Em “Diretrizes do que o estudante deve saber”, contextualize sobre a necessidade da integração curricular para além da temática. Destaque a importância de práticas metodológicas ativas de ensino e de aprendizagem e das práticas avaliativas processuais e formativas.

Em “Temas contemporâneos”, indique como integrar os temas eleitos aos elementos estruturantes da educação integral.

Vale lembrar que, além do texto introdutório, a integração curricular também deve constar nas concepções das áreas do conhecimento e nas orientações didáticas do currículo. 

 

       *Se estiver no mobile, deslize para ver as seções. 

Já sabe como escrever o texto introdutório do seu currículo?
Comentar
Mensagem
Comentários