MOTIVAÇÃO

Para aprender, é evidente que o estudante precisa ter motivação, como é sabido por educadores, gestores e famílias. Afinal, a motivação é um dos fatores que mais influenciam a forma como cada pessoa se comporta para atingir seus objetivos! 

Querer e sentir que pode aprender algo relevante para sua vida é um dos grandes impulsionadores de conquistas na vida de um estudante, e de qualquer um de nós. Em um mundo complexo e cheio de mudanças, esse fator se torna ainda mais essencial. Mas como levar esse desenvolvimento intencionalmente aos estudantes? É possível promover a motivação para aprender na escola?   

Para responder essas e outras perguntas conectadas aos desafios da educação do século 21, a partir de 2020 o Instituto Ayrton Senna iniciou uma série de atividades de pesquisa focadas em identificar evidências científicas sobre o processo da motivação para a aprendizagem, buscando ampliar novamente o horizonte da qualidade da educação. 

Esta página trará alguns dos principais achados dessas atividades, com objetivo de compartilhar conhecimentos, perspectivas diversas e práticas que possam contribuir com o dia a dia de estudantes e educadores.


O que dizem as evidências sobre motivação

O pesquisador Kevin McGrew, diretor do Instituto de Psicometria Aplicada e um dos maiores especialistas no tema do mundo, destaca que os estudantes aprendem a partir de um conjunto de características pessoais que interagem entre si e que são influenciados por razões inatas, por estímulos e outros elementos. O modelo de McGrew organiza o processo da aprendizagem motivada em três etapas:

Os aspectos apresentados por McGrew são fundamentais na hora de educadores pensarem em como levar este desenvolvimento aos seus alunos, na prática. O pesquisador indica 3 grupos de perguntas que podem ser feitas aos estudantes pelos educadores com o objetivo de conhecer um pouco mais sobre sua motivação para aprender. Conheça:

  • O estudante quer fazer essa atividade e porquê? 
  • Por que fazer a atividade? Quais são os objetivos? 
  • Essa atividade é interessante?  
  • A atividade vale o esforço?  
  • Qual valor pessoal a atividade terá para o estudante? 

  • Posso ser bem-sucedido nessa atividade? 
  • Sou capaz de fazer essa atividade? 
  • Como posso controlar meu sucesso na atividade? 

 

  • O que eu preciso para ser bem-sucedido?  
  • Qual será o meu padrão de sucesso?  
  • Como eu posso organizar com eficiência as minhas estratégias de aprendizagem?  
  • Como estou indo no processo de aprendizagem?  
  • O que eu posso fazer diferente? 

Acesse a apresentação completa de Kevin McGrew sobre Modelo de Motivação para Aprender e Modelo de Aprendizagem Cognitiva-Afetiva-Motivacional para mais detalhes: 


Competências socioemocionais são alavancas para a motivação 

Parte fundamental da educação integral, o desenvolvimento de competências socioemocionais também é essencial para o fortalecimento da motivação dos estudantes. Habilidades de autogestão, abertura ao novo e resiliência emocional se demonstraram, de acordo com as pesquisas, alavancas importantes neste processo. Este desenvolvimento socioemocional, já previsto na BNCC por meio das 10 Competências Gerais, deve ser realizado de forma intencional, com o objetivo de garantir os direitos de aprendizagens dos estudantes.  

Além dos estudos realizados com consultoria do próprio McGrew, para identificar a relação das socioemocionais com as três etapas do processo de aprendizagem motivada, o Instituto também tem realizado pesquisas por meio do  eduLab 21, o seu laboratório de ciências para a educação, e ainda por meio de parceria com pesquisadores da Rede Nacional de Ciência para Educação (Rede CpE).  

Todos esses estudos têm como objetivo conectar as dimensões cognitivas e socioemocionais com a motivação e descobrir sobre o que faz com que um estudante queira e se interesse por atividades de aprendizagem, decida ter iniciativa para realizar essas atividades, e implemente as ações necessárias para manifestar sua vontade.


Na política pública

Para garantir o desenvolvimento da motivação dos estudantes, é preciso que redes de ensino e práticas pedagógicas, se sustentem em alguns pilares comuns e garantidos para todos, muitos deles já previstos por meio de políticas educacionais e marcos legais nacionais. 

A própria BNCC, uma das principais referências para os programas e iniciativas de qualquer secretaria de Educação ou rede particular de ensino, oferece diretrizes básicas que se relacionam também com a motivação. Ao mesmo tempo, promover a motivação dos estudantes é também uma forma de garantir a implementação da BNCC. 

A partir dela, é necessário que cada rede ou escola tenha um currículo comprometido com uma matriz de competências e o desenvolvimento integral dos estudantes, abrir espaço para a flexibilização curricular e os componentes inovadores  (como de Projeto de Vida, por exemplo), realizar formação de educadores contemplando também as práticas que promovem motivação (de forma integrada com metodologias ativas, por exemplo), e implementar novas formas de monitoramento e avaliação, para além das provas de desempenho. Acompanhe no infográfico abaixo o que o Brasil já dispõe nesse sentido e onde ainda podemos avançar: 


Na prática pedagógica

Levar o desenvolvimento da motivação dos estudantes para a prática pedagógica passa por alguns caminhos: é preciso desenvolver com intencionalidade, aliar este processo ao fortalecimento das competências socioemocionais e criar espaços para que os jovens possam expandir seu autoconhecimento e refletir sobre sua identidade e projeto de vida.

É importante destacar que a promoção da motivação não deve estar restrita a um componente curricular já existente ou componente específico para o seu desenvolvimento. Ao contrário disso, é necessário que a motivação esteja dentro das estratégias de aprendizagem e práticas pedagógicas de forma transversal.

Para que o educador leve este desenvolvimento para a prática, é preciso que ele: 

  • Discuta sobre quais são os interesses, crenças e valores de cada jovem
  • Explore o que gostariam de aprender e o porquê
  • Ajude-os a desenvolver um plano de ação para atingir o objetivo de cada aprendizagem
  • Estimule o desenvolvimento socioemocional para ajudá-lo no percurso, especialmente nas competências de curiosidade para aprender, organização, foco, determinação, tolerância ao estresse e à frustração
  • Mostre ao estudante como determinado conteúdo ou sequência prevista no seu plano de aulas pode se conectar com esses interesses e com o que ele valoriza
  • Ajude os jovens a explorar novos interesses, ou encontrarem disposição para aprender também sobre temas que não estão entre seus interesses principais

Confira mais dicas para estudantes, educadores e famílias: 


O Intituto Ayrton Senna e a Motivação

Aplicativo Motivação+

Com o objetivo de criar uma trajetória de desenvolvimento autônoma para o estudante, o Instituto também lançou o aplicativo Motivação+, um app que apresenta caminhos para os jovens desenvolverem sua motivação para aprender dentro e fora da escola, convidando-os a passar por desafios que envolvem a identificação de interesses, o planejamento, a execução e o acompanhamento de estratégias de aprendizagem.  

Atualmente, isso acontece por meio de três áreas temáticas, selecionadas após uma pesquisa com jovens: sustentabilidade, saúde e autoconhecimento. Conheça o app e saiba mais sobre como utilizá-lo com seus estudantes em suas propostas pedagógicas. 

Seminário Internacional Motivação: Evidências para promover a aprendizagem

Em 15 de junho de 2021, o Instituto realizou um seminário internacional que reuniu várias vozes sobre o tema da motivação. Mais de 40 mil pessoas já viram e compartilharam conteúdos transmitidos no evento por pesquisadores, gestores, professores e também estudantes. Com objetivo de jogar mais luz sobre a importância de destacar o papel da motivação na agenda do debate educacional brasileiro, o seminário mostrou novas perspectivas e possibilidades para isso. Assista novamente as palestras e saiba tudo o que rolou.




O que pensam os especialistas sobre
a motivação


Saiu na mídia

Confira as reportagens que saíram sobre o tema na imprensa com a participação do Instituto.


Inscreva-se na nossa Newsletter

Captcha obrigatório
Obrigado. Seu e-mail foi cadastrado com sucesso!