publicado em 22.06.2020 ÀS 14:15

FOCO E PERSISTÊNCIA

Dia a dia estamos expostos a inúmeras informações sobre diversos assuntos. Especialmente no momento atual, notícias sobre o COVID-19 chegam até nós por diferentes mídias numa velocidade alarmante. O volume de informações e a necessidade de nos mantermos atualizados pode acabar nos induzindo ao consumo de informações equivocadas, gerando um nível de preocupação acima do necessário e nos deixando desnecessariamente abalados.

Para nos mantermos calmos e atentos à qualidade das informações que estamos consumindo e divulgando, foco e persistência são duas competências socioemocionais fundamentais.

Clique para fazer download do material sobre foco e persistência!

 

O que são foco e persistência?

Foco – é a capacidade de manter a atenção, concentrar-se nas tarefas e evitar distrações, mesmo quando realizando ações repetitivas.

Persistência – é quando superamos obstáculos para atingir objetivos importantes, persistindo e terminando as ações planejadas. A ênfase em completar tarefas já iniciadas, em vez de procrastinar ou desistir. Está relacionado a conceitos de perseverança e esforço.

Ter foco e persistência significa saber direcionar a atenção e a concentração para as atividades que são realmente importantes neste momento, a superar obstáculos e a continuar em frente.

 

Por que o foco e a persistência são importantes?

Foco e persistência nos ajudam a lidar com o volume de informações que estamos recebendo, a ir atrás de suas fontes para identificar quais são confiáveis e úteis e selecionar aquelas que merecem ser passadas adiante. Também colaboram para enfrentar os desafios do cotidiano da vida em isolamento, pois são elas que nos ajudam a seguir em frente em situações de estresse, como é o isolamento social.

 

O que fazer?

  • Tente não consumir notícias que aumentem seu nível de estresse, medo e ansiedade e busque informações apenas de fontes confiáveis e oficiais, como a Organização Mundial de Saúde (OMS) e as autoridades locais.
  • Não passe o dia todo buscando informações: o faça apenas uma ou duas vezes por dia, evitando uma quantidade de dados muito grande e desnecessária.
  • Evite dar corda para boatos e “fake news”, e evite mais ainda disseminá-los para seus contatos sem checar a veracidade do conteúdo, pois isso causa ainda mais angústia e estresse.
  • Construa planos e um passo a passo com o que quer que seja necessário para viver uma rotina de maior isolamento do contato físico nesse momento.
  • Para pais e mães com filhos em casa, tentem manter, tanto quanto possível, as rotinas que adota dentro de casa, com a sua família – ou estabeleça novos combinados. Não importa a faixa etária: rotina acalma e é importante em um momento que não está claro tudo o que se deve fazer.
  • Para professores que estão lidando com o desafio das aulas a distância, há atividades que podem trabalhar essas competências socioemocionais junto com alunos, como as que envolvem a meditação ou o mindfulness. Que tal colocar em ação com os estudantes 10 minutos por dia de meditação guiada? Essa prática auxilia o controle emocional, o foco e o bem-estar físico e mental. A internet está cheia de boas dicas para iniciantes!
  • Para crianças, adolescentes e jovens que estão em isolamento, que tal contribuir com seus familiares no estabelecimento das novas rotinas? Procurar por atividades de seus interesses e que possam ser realizadas em família é um bom começo!

 

Fonte: Organização Mundial de Saúde (OMS) e Instituto Ayrton Senna

Você pode ter acesso ao WhatsApp da Organização Mundial de Saúde (OMS) que traz informações atualizadas e confiáveis sobre a pandemia. Para isso, basta acrescentar o número +41 79 893  18 92 aos seus contatos telefônicos e encaminhar  uma saudação “hi” para eles pelo WhatsApp. As informações estão em inglês.