Como articular tempo e qualidade para agilizar processos de ensino e recuperar defasagens de aprendizagem? Conheça estratégias para os Anos Iniciais do Ensino Fundamental, principalmente em momentos de crise

A pandemia pelo novo coronavírus provocou um cenário inédito de isolamento social, com rápida transição para o ensino remoto e um impacto enorme no aspecto emocional de milhões de estudantes, educadores e famílias, além de expor, mais uma vez e com ênfase, fragilidades históricas dos sistemas educacionais - sempre suscetíveis a situações de crises ou fatores que afetam diretamente o cumprimento do ano letivo e as possibilidades de aprendizagem dos estudantes (como greves, enchentes, situações de insegurança pública e outros).

momento atual indica uma ampliação da já enorme desigualdade no desempenho educacional por todo o país, o que adiciona desafios ao relevante papel da escola na busca por garantir a aprendizagem de qualidade a todos, com equidade.

O ensino remoto, mesmo nos locais em que tenha sido bem planejado e executado, tem menores chances de gerar engajamento dos estudantes e promover o desenvolvimento, especialmente em famílias com condições reduzidas de acesso à infraestrutura necessária para isso, ou mesmo a um contexto domiciliar e comunitário menos favorável à aprendizagem.

Quando pensamos no desenvolvimento de cada estudante como um processo contínuo e não fragmentado em apenas uma ou outra etapa escolar, fica ainda mais clara a necessidade de desenhar novos caminhos para garantir que a aprendizagem aconteça, mesmo que em um tempo reduzido.

Sabemos que, para muitas redes de ensino, o calendário escolar (800 horas de trabalho pedagógico) do ano passado avançará para 2021, com possibilidade real de se estender para 2022. Mas também sabemos que não há tempo a perder quando se trata de reduzir os prejuízos de aprendizagem que aconteceram em 2020, eliminar desigualdades resultantes de diferenças no contexto de cada um, e manter as oportunidades de avanços para todos.

Esse cenário de fortes desafios à aprendizagem já existia em muitas realidades brasileiras, mas a crise do novo coronavírus massificou ainda mais essa situação para todos os contextos, ampliando o alcance das possíveis lacunas de aprendizagem.

Quando pensamos no desenvolvimento de cada estudante como um processo contínuo e não fragmentado em apenas uma ou outra etapa escolar, fica ainda mais clara a necessidade de desenhar novos caminhos para garantir que a aprendizagem aconteça, mesmo que em um tempo reduzido.

Sabemos que, para muitas redes de ensino, o calendário escolar (800 horas de trabalho pedagógico) do ano passado avançará para 2021, com possibilidade real de se estender para 2022. Mas também sabemos que não há tempo a perder quando se trata de reduzir os prejuízos de aprendizagem que aconteceram em 2020, eliminar desigualdades resultantes de diferenças no contexto de cada um, e manter as oportunidades de avanços para todos.

Esse cenário de fortes desafios à aprendizagem já existia em muitas realidades brasileiras, mas a crise do novo coronavírus massificou ainda mais essa situação para todos os contextos, ampliando o alcance das possíveis lacunas de aprendizagem.

Sendo assim, o principal desafio que se apresenta aos sistemas de ensino é articular tempo e qualidade a serviço da educação por meio de políticas públicas que, a partir de um diagnóstico claro, apresentem planejamentos objetivos para desenvolver ações específicas — explicitando “o quê”, “como”, “quando”, “quem”, forma de monitoramento com indicadores e metas, avaliação e resultados esperados. Essas políticas orientam e se desdobram nas práticas pedagógicas mais efetivas nas escolas e em sala de aula, e tudo isso sem perder de vista a realização do acolhimento seguro e responsável à comunidade escolar no período de retorno às aulas presenciais, com ênfase na necessidade de cuidar de sentimentos e emoções.

É justamente sobre a superação de desafios que tratamos neste guia, onde apresentamos o fruto de conhecimento e experiências exitosas do Instituto Ayrton Senna em garantir a aprendizagem, especialmente nos anos iniciais do Ensino Fundamental. São processos e princípios passíveis de serem praticados nas mais diferentes realidades do país, pois foram nelas que nasceram e se desenvolveram.

BASES E PRINCÍPIOS
DESSE MATERIAL

BASES E PRINCÍPIOS DESSE MATERIAL

Desde a sua criação, em 1994, o Instituto Ayrton Senna tem como missão promover o desenvolvimento das novas gerações por meio da educação integral. Essa visão de educação, que se atualiza em sua trajetória, agrega ao processo de ensino e aprendizagem um trabalho intencional para o desenvolvimento de competências socioemocionais que, integrado com o cognitivo e outras dimensões, tem como objetivo oferecer oportunidades qualificadas para que toda criança e todo jovem tenham condições futuras equitativas de escolhas pessoais e profissionais para o convívio em sociedade.  Essa mesma perspectiva de educação é contemplada e promovida pela Base Nacional Comum Curricular (BNCC), a referência de todos os currículos do País.

A atuação do Instituto Ayrton Senna ao longo dos anos contou também com significativa vinculação com redes de ensino parceiras na construção, desenvolvimento e implementação de políticas públicas educacionais com princípios e processos centrados em práticas de gestão. As ações realizadas comprovaram a eficácia da adoção de práticas gestoras e instrumentos gerenciais de monitoramento como base para o sucesso de políticas públicas educacionais que garantam a aprendizagem. Essa experiência acumulada se traduz em conteúdos, processos, estratégias, métodos e práticas gestoras baseados em evidências vinculadas à concepção de educação integral.

A esse arcabouço teórico-metodológico damos o nome de “inteligência para a eficiência de políticas educacionais”, que apresentaremos neste espaço. O objetivo deste guia é contribuir com inspirações e sugestões concretas sobre o que fazer diante de cenários em que os estudantes não adquiriram conhecimentos essenciais que se esperava que fossem aprendidos em alguma etapa de ensino. Aqui, nosso foco de atenção estará nos anos iniciais do Ensino Fundamental, com destaque para o processo de alfabetização, mas muitas das reflexões feitas nas próximas páginas em relação à gestão do processo educacional podem certamente ser adotadas e fazer a diferença nas demais etapas da Educação Básica.

As sessões a seguir podem ser aproveitadas em qualquer ordem e conforme o interesse de cada leitor. Compartilhamos materiais desenvolvidos com foco total no momento atual, para apoiar gestores e educadores a readequarem seus currículos dos anos iniciais do Ensino Fundamental, considerando as novas condições para a aprendizagem.

Trazemos também conhecimentos atualizados para quem deseja aprimorar ferramentas e processos de gestão que garantam a promoção da aprendizagem, em qualquer contexto ou conjuntura. Outra sessão traz informações práticas sobre como desenhar uma política pública de alfabetização, considerando este ciclo como a base para a qualidade de todas as aprendizagens e do engajamento do estudante com os estudos.

Abrimos também mais conteúdos para implementar a proposta de alfabetização 360° do Instituto Ayrton Senna, e ainda uma sessão totalmente dedicada às reflexões sobre como promover o desenvolvimento integral de todos, levando em conta as competências socioemocionais de estudantes e educadores. 

Boa leitura!

ACESSE AS SESSÕES

As sessões a seguir podem ser aproveitadas em qualquer ordem e conforme o interesse de cada leitor. Compartilhamos materiais desenvolvidos com foco total no momento atual, para apoiar gestores e educadores a readequarem seus currículos dos anos iniciais do Ensino Fundamental, considerando as novas condições para a aprendizagem.

Trazemos também conhecimentos atualizados para quem deseja aprimorar ferramentas e processos de gestão que garantam a promoção da aprendizagem, em qualquer contexto ou conjuntura. Outra sessão traz informações práticas sobre como desenhar uma política pública de alfabetização, considerando este ciclo como a base para a qualidade de todas as aprendizagens e do engajamento do estudante com os estudos.

Abrimos também mais conteúdos para implementar a proposta de alfabetização 360° do Instituto Ayrton Senna, e ainda uma sessão totalmente dedicada às reflexões sobre como promover o desenvolvimento integral de todos, levando em conta as competências socioemocionais de estudantes e educadores. 

Boa leitura!

ACESSE AS SESSÕES

As sessões a seguir podem ser aproveitadas em qualquer ordem e conforme o interesse de cada leitor. Compartilhamos materiais desenvolvidos com foco total no momento atual, para apoiar gestores e educadores a readequarem seus currículos dos anos iniciais do Ensino Fundamental, considerando as novas condições para a aprendizagem.

Trazemos também conhecimentos atualizados para quem deseja aprimorar ferramentas e processos de gestão que garantam a promoção da aprendizagem, em qualquer contexto ou conjuntura. Outra sessão traz informações práticas sobre como desenhar uma política pública de alfabetização, considerando este ciclo como a base para a qualidade de todas as aprendizagens e do engajamento do estudante com os estudos.

Abrimos também mais conteúdos para implementar a proposta de alfabetização 360° do Instituto Ayrton Senna, e ainda uma sessão totalmente dedicada às reflexões sobre como promover o desenvolvimento integral de todos, levando em conta as competências socioemocionais de estudantes e educadores. 

Boa leitura!

As sessões a seguir podem ser aproveitadas em qualquer ordem e conforme o interesse de cada leitor. Compartilhamos materiais desenvolvidos com foco total no momento atual, para apoiar gestores e educadores a readequarem seus currículos dos anos iniciais do Ensino Fundamental, considerando as novas condições para a aprendizagem.

Trazemos também conhecimentos atualizados para quem deseja aprimorar ferramentas e processos de gestão que garantam a promoção da aprendizagem, em qualquer contexto ou conjuntura. Outra sessão traz informações práticas sobre como desenhar uma política pública de alfabetização, considerando este ciclo como a base para a qualidade de todas as aprendizagens e do engajamento do estudante com os estudos.

Abrimos também mais conteúdos para implementar a proposta de alfabetização 360° do Instituto Ayrton Senna, e ainda uma sessão totalmente dedicada às reflexões sobre como promover o desenvolvimento integral de todos, levando em conta as competências socioemocionais de estudantes e educadores. 

Boa leitura!

As sessões a seguir podem ser aproveitadas em qualquer ordem e conforme o interesse de cada leitor. Compartilhamos materiais desenvolvidos com foco total no momento atual, para apoiar gestores e educadores a readequarem seus currículos dos anos iniciais do Ensino Fundamental, considerando as novas condições para a aprendizagem.

Trazemos também conhecimentos atualizados para quem deseja aprimorar ferramentas e processos de gestão que garantam a promoção da aprendizagem, em qualquer contexto ou conjuntura. Outra sessão traz informações práticas sobre como desenhar uma política pública de alfabetização, considerando este ciclo como a base para a qualidade de todas as aprendizagens e do engajamento do estudante com os estudos.

Abrimos também mais conteúdos para implementar a proposta de alfabetização 360° do Instituto Ayrton Senna, e ainda uma sessão totalmente dedicada às reflexões sobre como promover o desenvolvimento integral de todos, levando em conta as competências socioemocionais de estudantes e educadores. 

Boa leitura!

O cenário atual torna ainda mais urgente impedir um aumento nas fragilidades da educação brasileira, em especial questões como a alfabetização e a cultura de gestão. Para otimizar o tempo escolar disponível nos próximos meses (e anos), é essencial realizar ajustes nos currículos e nos planos de trabalho, definindo prioridades e aprendizagens mais necessárias em cada ano escolar. O Instituto Ayrton Senna possui ampla experiência na implementação de programas que se apoiam em readequações curriculares para o resgate de anos de atraso em idade e em aprendizagem em apenas um único ano letivo. Essa bagagem permite oferecer referenciais com uma seleção essencial de competências, habilidades e objetos do conhecimento presentes na BNCC, tanto para turmas de correção de fluxo quanto para turmas regulares dos anos iniciais do Ensino Fundamental. Conheça esse conteúdo imprescindível para ajustes nos currículos e também sugestões para o trabalho com múltiplas linguagens e planos de trabalho docente, alinhados à BNCC.

Mesmo sem considerar os desafios inéditos causados pela pandemia, o Brasil não vem conseguindo ofertar educação de qualidade para todos os estudantes. Os baixos índices de aprendizagem na idade adequada têm relação com questões pedagógicas e também de gestão das políticas públicas educacionais. Para se atingir a eficiência educacional e resultados de sucesso na aprendizagem, é preciso implementar o processo de gestão, do princípio ao fim: diagnóstico educacional das redes de ensino, definição de indicadores do sucesso e metas, elaboração de estratégias, monitoramento e avaliação como rotina, além de planejar uma articulação entre as diversas iniciativas. Conheça conteúdos e práticas dos quatro âmbitos da gestão educacional: aprendizagem, ensino, rotina escolar e política educacional, que podem acelerar e ampliar as oportunidades para que todos os estudantes aprendam e se desenvolvam plenamente.

Ler e escrever com fluência e compreensão é a porta que permite acesso a outras tantas competências e conhecimentos fundamentais para a continuidade escolar e também para a superação de barreiras culturais, econômicas e sociais. Apesar da relevância desse tema, ainda é preciso avançar para incorporar no universo escolar ações efetivas para atender rapidamente a criança em defasagem na alfabetização, que muitas vezes passa a ter dificuldades cada vez maiores para prosseguir na aprendizagem. O compromisso que a sociedade brasileira assumiu em lei é de que toda criança esteja alfabetizada até os sete anos. Para isso acontecer, é preciso que a alfabetização seja desenhada e implementada como política pública, desenvolvida de forma processual por meio de um conjunto de ações efetivas e eficientes, constantemente aprimoradas. Independentemente do método de alfabetização escolhido por cada unidade ou rede, é possível aprofundar as discussões e construir medidas concretas para reverter o cenário atual da alfabetização no Brasil. Veja materiais com dicas nos âmbitos de gestão da alfabetização, formação de alfabetizadores, construção de propostas político-pedagógicas e escolha de metodologias de trabalho.

Os referenciais para readequação curricular apresentados neste guia devem ser conciliados com a perspectiva do desenvolvimento integral dos estudantes, segundo conceitos defendidos pelo Instituto Ayrton Senna dentro da ideia de Alfabetização 360º. Essa proposta visa a integrar a promoção de competências socioemocionais ao processo de aquisição das competências leitora e escritora. Isso implica em um trabalho intencional com múltiplas linguagens (da matemática, da ciência, da expressão corporal artística e digital) e com as diferentes dimensões humanas (intelectual, física, socioemocional). O Instituto Ayrton Senna disponibiliza os principais materiais usados no programa Gestão de Política de Alfabetização, que conta com estratégias pedagógicas e de gestão para implementar a perspectiva da Alfabetização 360°, valorizando os saberes e potencialidades de cada estudante, os diferentes ritmos de aprender e a diversidade de interesses para seguir aprendendo e se desenvolvendo.

A escola, além de prover os conteúdos acadêmicos, também é responsável pelo desenvolvimento socioemocional dos estudantes. Para garantir essa formação integral de crianças e jovens, é essencial cuidar também do bem-estar de todos na comunidade escolar, promovendo um trabalho cotidiano de oportunidades de desenvolvimento de autoestima, autoconfiança e autonomia. Criar um clima acolhedor, onde todos se pautem por dinâmicas colaborativas de trocas de experiências e respeito mútuo, passa por compreender e apoiar o bom andamento das relações dentro de cada unidade escolar. Todos os envolvidos, em especial os gestores escolares, podem contribuir com práticas e ações concretas que aumentem a motivação e o engajamento de educadores e estudantes com cada projeto da escola. Conheça materiais e dicas para garantir a atenção às competências socioemocionais de estudantes e educadores, tão importante quanto ter um plano para atender ou adequar um currículo, em qualquer que seja o modelo escolhido.

Não perca o melhor sobre o Instituto Ayrton Senna
Newsletter

Captcha obrigatório
Obrigado. Seu e-mail foi cadastrado com sucesso!