publicado em 28 de julho de 2021

Políticas e práticas educacionais baseadas em evidências: o que as pesquisas sobre motivação nas escolas estão dizendo

Iniciativa realizada pelo Instituto Ayrton Senna e Rede CpE investiga o papel da motivação para o engajamento dos estudantes e para o desempenho escolar

Levar a realidade da sala de aula para o contexto das pesquisas acadêmicas, e vice-versa, é um dos grandes desafios da produção de ciência em Educação. Ter estudos que mesclem teoria e empiria são fundamentais quando se pensa na necessidade de implementação de políticas públicas e de práticas educacionais que sejam embasadas por evidências científicas.

Esse é um dos objetivos da parceria entre o Instituto Ayrton Senna e a Rede Nacional de Ciência para a Educação (Rede CpE), uma iniciativa que reúne pesquisadores de diferentes áreas do conhecimento interessados em realizar pesquisas científicas que possam promover melhores práticas e políticas educacionais baseadas em evidências. Para Viviane Senna, presidente do Instituto, as pesquisas são fundamentais para atender à necessidade de que a educação brasileira seja cada vez mais pensada de forma estratégica. “Nós, como educadores, precisamos estimular uma educação com propósito, para termos uma educação propulsora”, afirma.

Em 2020, a parceria entre Instituto e Rede CpE deu origem à abertura de um edital específico para selecionar projetos de pesquisa relacionados à motivação no contexto escolar, em elementos como formação docente, clima escolar, competências socioemocionais e comportamentos do estudante, como desempenho escolar, evasão, abandono e engajamento com os estudos.

Como resultado, foram selecionados dois projetos de pesquisa: para estudo de revisão sistemática, a pesquisadora Ana Deyvis Santos Araújo Jesuíno apresentou o projeto “Motivação para aprender, competências socioemocionais e o desempenho escolar em alunos do ensino fundamental: uma revisão sistemática”; e a pesquisadora Evely Boruchovitch propôs, como estudo exploratório, o projeto “A motivação para aprender de alunos no Ensino Fundamental II: um estudo sobre variáveis que favorecem o engajamento escola”.

Durante o Seminário Internacional “Motivação: evidências para promover a aprendizagem”, realizado pelo Instituto Ayrton Senna, ambas as pesquisadoras foram convidadas da trilha “Motivação na ciência: uma conversa com pesquisadores” e apresentaram as ideias e achados de seus projetos sob a moderação de Roberto Lent.


Imersão no conhecimento já produzido

A motivação no contexto escolar é um tema de estudo no mundo todo há tempos. Foi com o objetivo de conhecer toda essa produção que a pesquisadora Ana Deyvis deu início ao seu projeto de realizar uma revisão sistemática de literatura.

O que é revisão sistemática de literatura?
Existem vários tipos de revisão de literatura e a sistemática é uma das mais criteriosas. Ela tem como objetivo responder a uma pergunta de forma específica e imparcial. 


Idealizado para que atendesse aos aspectos de sistemática e transparência que caracteriza esse método de revisão, o projeto teve como objetivo responder à questão: qual a relação entre motivação para aprender, competências socioemocionais e desempenho escolar?

Passou-se, então, para a busca dos artigos pudessem fundamentar essa resposta. O primeiro critério foi delimitar artigos que tratassem de estudantes do Ensino Fundamental I e II (anos iniciais e anos finais). Como existem divergências sobre essa nomenclatura, foi estabelecida também a faixa etária de 5 a 14 anos, que corresponde à idade dos estudantes brasileiros na etapa escolar de interesse.

A partir de buscas em base de dados específicas para o escopo das pesquisas, foram encontrados 9.631 artigos científicos. Para analisar dentre esses os artigos realmente relevantes para a pesquisa, foram aplicados os seguintes critérios: eliminar artigos repetidos; triagem baseada no título, resumo e palavras-chave; análise do método de pesquisa, considerando os critérios de etapa escolar e faixa etária. Esse olhar mais acurado gerou um resultado geral de 56 artigos, que foram lidos na íntegra e submetidos a uma relação qualitativa e quantitativa.

A pesquisadora comenta que os resultados preliminares reforçam a relevância da motivação para o desempenho escolar e, portanto, a necessidade de que essa relação seja investigada.

Qualitativamente, um achado importante foi que o de que as variáveis de estudo são também influenciadas por fatores externos: envolvimento parental, comunicação parental, nível de escolaridade da mãe; performance acadêmica dos professores.


Formação de professores em prol da motivação

Com o objetivo de caracterizar as variáveis associadas ao engajamento escolar dos alunos, o projeto da pesquisadora Evely buscava investigar empiricamente variáveis ligadas à motivação para aprender e pensar em como esses achados poderiam pautar práticas e políticas variadas, como a formação de professores. Contudo, a ideia inicial esbarrou no ensino remoto e no isolamento social causado pela pandemia em 2020, que inviabilizou a coleta de dados com estudantes.

A pesquisadora, então, estudou possíveis desdobramentos do projeto e adaptou seu objetivo de pesquisa para a formação de professores para a realização de práticas que trabalhem intencionalmente a motivação para aprender.

Esse objetivo terá, primeiramente, a etapa de avaliar o conhecimento que os professores têm acerca das variáveis motivacionais - o que motiva o aluno, qual o estilo motivacional que eles têm em sala de aula, quais são suas crenças de eficácia para o ensino. Essa avaliação será realizada a partir da aplicação de um instrumento que permitirá a coleta dos dados de forma quantitativa.

A segunda etapa do projeto consiste no oferecimento de formações sobre a temática da motivação, contemplando aspectos fundamentais para o engajamento do estudante. Os cursos oferecidos a alguns professores de escolas parceiras do projeto de pesquisa terão como meta a tradução da teoria para uma linguagem simples e ter um embasamento teórico-reflexivo, com enfoque pratico – ou seja, que permita a aplicação em sala de aula ao mesmo tempo em que motiva uma prática reflexiva ao educador.