Se Liga

Iniciativa com o objetivo de promover a alfabetização de estudantes em estado de defasagem idade-série matriculados do 3º ao 5º ano do Ensino Fundamental e garantir a correção de fluxo

Olhar para a alfabetização com a perspectiva da educação integral é essencial para garantir aos estudantes uma base sólida para que sua trajetória escolar consiga apoiar o desenvolvimento de todo o seu potencial.

Fortalecer o estudante em suas dimensões cognitivas, socioemocionais, híbridas, culturais e simbólicas, entre outras é um dos principais caminhos para que possam obter conquistas ao longo da vida.

Essa abordagem é de grande importância também para estudantes em distorção idade-série (com dois ou mais anos de diferença em relação ao esperado para a série em que está) e é nesse enfoque que foi desenvolvido o Se Liga.

Focado em estudantes não alfabetizados e em distorção idade-série matriculados do 3º ao 5º ano do Ensino Fundamental, o Se Liga promove a alfabetização de maneira integrada ao desenvolvimento socioemocional, permitindo que recuperem o atraso e sigam em frente.

Além de atingir índices de alfabetização que chegam a 95% (de alunos alfabetizados), a proposta promove o autoconhecimento, a autoestima e a expectativa positiva dos estudantes e educadores, permitindo que cada aluno e toda a rede de ensino avancem rumo a seus sonhos e metas.

Na prática

O Se Liga propõe uma estratégia de intervenção tanto na dimensão pedagógica quanto de gestão. Formação, planejamento e mecanismos sistemáticos de execução, de acompanhamento e de avaliação garantem a eficiência do programa e a aprendizagem efetiva dos alunos.

A formação dos educadores é o primeiro passo no processo de implementação do Se Liga.

Para que esse processo formativo seja feito de maneira efetiva, é fundamental o papel do Comitê Gestor, formado por profissionais do Instituto, das secretarias de educação e demais áreas governamentais identificadas pelas redes parceiras como fundamentais para fazer a política educacional acontecer (como saúde, assistência social, entre outras).

Após definida a composição do Comitê, são realizados encontros introdutórios, para que todos os envolvidos se apropriem das metodologias necessárias, e formações continuadas, que continuam a apoiar os educadores na realização das atividades propostas.

O sucesso da alfabetização no Se Liga é construído no dia a dia, principalmente pelo vínculo afetivo entre professor e aluno, indispensável para a aprendizagem.

Acolher o aluno tal como ele é, favorecer para que seja bem-sucedido em suas atividades escolares, promover sua socialização com os colegas, oportunizar a sua fala e despertar sua curiosidade são alguns dos objetivos a serem perseguidos pelo professor desde o primeiro dia de aula.

Para apoiar no campo do planejamento e da execução, o Se Liga também trabalha com material didático focado na alfabetização e com uma seleção mínima de livros de literatura infanto-juvenil para leitura compartilhada.

Além da meta de leitura de cada um dos estudantes durante o ano, há registro do cumprimento das atividades de casa, do cumprimento dos dias letivos previstos e do fluxo das aulas, da frequência de professores e alunos, das reuniões de professores para planejamento e de observações de aula pelo mediador do programa.

Deste modo, o grande diferencial dessa solução é o registro diário do desenvolvimento do aluno, onde as observações e o olhar do professor transformam-se em dados qualitativos e quantitativos reunidos em relatórios sistemáticos.

Por isso, a proposta promove também a qualificação da gestão dos indicadores das redes de ensino e apoia o monitoramento dos resultados, por meio de uma sistemática de acompanhamento do desenvolvimento das turmas.

Esse registro é fundamental para orientar planos e processos, uma vez que reúne um conjunto de dados compostos de indicadores específicos sistematizados em ambiente digital e por registros constantes do professor.

Histórico

O Se Liga surgiu em 2001 em função da necessidade de atender uma grande parcela de estudantes com distorção idade-série que estavam em turmas da solução educacional Acelera Brasil, mas que não conseguiam acompanhar o programa pois não sabiam ler e escrever.

A partir disso, consagrou-se como um programa de alfabetização que contribui para a formação de cidadãos aptos para superar os desafios do século 21 ao levar às escolas uma dinâmica escolar pautada em uma visão de política pública e de educação integral que estimula não apenas suas capacidades cognitivas, mas também socioemocionais como comunicação, colaboração e autogestão.

Em 2009, o MEC incluiu o Se Liga no Guia de Tecnologias Educacionais, uma seleção de programas inovadores que promovem educação de qualidade nas diversas etapas da educação básica.

A solução educacional oferece um modelo viável e de baixo custo para ser implementado em larga escala, o que permite o alcance de um número maior de estudantes.

O Instituto Ayrton Senna utiliza o conceito de aliança estratégica para articular apoios técnicos e financeiros de outras instituições, públicas ou privadas, e de empresas para que as redes de ensino possam implantar o programa.