Secretaria de Educação de São Paulo e Instituto Ayrton Senna realizam monitoramento socioemocional de educadores

Aplicação inédita permitirá identificar as competências socioemocionais fundamentais para o trabalho docente e consolidar evidências para políticas de formação de professores.

O desenvolvimento pleno só se concretiza quando aspectos cognitivos e socioemocionais caminham lado a lado e, no caso da formação de educadores, isso não é diferente.

Pensando nisso, o Instituto Ayrton Senna e a Secretaria de Educação de São Paulo (SEDUC-SP) anunciam hoje (20) o início do primeiro monitoramento socioemocional de educadores, iniciativa inédita que permitirá identificar quais são as competências socioemocionais fundamentais para o trabalho docente e fornecer evidências para a criação de estratégias de apoio aos educadores em seu desenvolvimento e em sua prática, como lidar com as demandas profissionais, com suas emoções, com o relacionamento com os outros. A primeira fase da coleta acontece entre os dias 20 de maio e 10 de junho, envolvendo todos os professores da rede.

A segunda fase contemplará a aplicação do questionário aos demais servidores da SEDUC-SP e deve acontecer segundo semestre.

Aplicado a partir de uma metodologia de autorrelato sobre a percepção socioemocional, o monitoramento abre um espaço de escuta aos educadores e, com isso, cria oportunidades para o autoconhecimento e para a expressão de suas necessidades enquanto profissionais da rede pública de ensino. Esses resultados também irão gerar insumos para o desenho das trilhas formativas em desenvolvimento pela EFAPE (Escola de Formação e Aperfeiçoamento dos Profissionais da Educação do Estado de São Paulo) e para a gestão e implementação de políticas de formação de educadores.

Vale destacar que o monitoramento não utiliza a mesma matriz de competências socioemocionais dos estudantes, que embasou, entre outras ações, o mapeamento realizado na rede paulista em 2019.

Por meio de estudos e pesquisas, o Instituto Ayrton Senna desenvolveu um instrumento específico para o monitoramento socioemocional de professores, considerando o cenário geral da atuação e as características desse público. O ineditismo da aplicação também irá contribuir para o aperfeiçoamento do instrumento e gerar evidências para reflexões e debates sobre a temática.

A devolutiva do monitoramento será enviada para a rede de ensino, com explicações sobre a importância do desenvolvimento das competências socioemocionais do educador e sobre a matriz de macrocompetências utilizada no instrumento. Também constarão orientações à gestão para leitura do relatório e sugestões sobre possíveis ações, além da exibição de um perfil dos respondentes a partir de seus dados sociodemográficos.

Para participar, os educadores deverão acessar o site da EFAPE.