Protótipo Minha Escola participa de Movimento Inova em São Paulo

Parte da nova política de educação integral da Secretaria de Educação do Estado de São Paulo, o protótipo Minha Escola, desenvolvido pela SEEDUC em parceria com o Instituto Ayrton Senna, realizou sua culminância em evento do Programa Inova.

Parte da nova política de educação integral da Secretaria de Educação do Estado de São Paulo, o protótipo Minha Escola, desenvolvido pela SEEDUC em parceria com o Instituto Ayrton Senna, realizou sua culminância em evento do Programa Inova Educação, iniciativa da rede estadual paulista que visa trazer inovação ao currículo e práticas da rede de ensino.

Fruto da construção conjunta entre o Instituto Ayrton Senna e a Secretaria de Educação do Estado de São Paulo, o protótipo Minha Escola foi implementado em 24 escolas de tempo parcial da capital paulista. A iniciativa foi um convite ao desenvolvimento de um novo modelo de escola para os Anos Finais do Ensino Fundamental (do 6º ao 9º ano) que estivesse conectado a uma visão de adolescente, sendo o trabalho pedagógico desenvolvido a partir de premissas como o convívio, a autonomia, integração curricular e desenvolvimento pleno. Foi implementado em 2019, com o apoio da Fundação Volkswagen, e envolveu 620 professores, 48 gestores e cerca de 9 mil alunos, servindo como experiência inspiradora para o Movimento Inova e seus desdobramentos nas mais de 5 mil escolas da rede paulista a partir de 2020.

Segundo o coordenador da Coordenadoria Pedagógica da Secretaria de Educação, Caetano Siqueira, a experiência com o protótipo e o Instituto Ayrton Senna revelou a possibilidade de serem pensados novos modelos de educação integral para escolas de tempo parcial. “Ele foi o grande impulsionador para mostrar que é possível fazer inovação, protagonismo juvenil e ciência com os alunos na jornada regular de ensino; mostramos que os professores têm muita capacidade para construir projetos inovadores e transformar a vida dos alunos. O que estamos vivendo hoje no Movimento Inova é também inspirado pelo projeto que a gente fez de inovação e de piloto com as escolas em parceria com o Instituto Ayrton Senna”, disse. Helton Souto, gerente de projetos do Instituto, também reforça o DNA de gerar inovações do Minha Escola. “ A ideia do protótipo é trazer algumas provocações que ajudem os demais educadores da Secretaria na trajetória que eles farão com o Inova”.

O evento

Ao longo dos dias 5 e 6 de dezembro, o evento do Movimento Inova ofereceu uma programação com atividades para estudantes do Anos Finais do Ensino Fundamental e do Ensino Médio, além dos profissionais e educadores da rede. A ocasião também contou com o apoio de parceiros na sua implementação, entre eles o Instituto Ayrton Senna, que realizou rodas de conversa e palestras sobre temas como Projeto de Vida e Metodologias Ativas. Parte dessa construção, os participantes do protótipo puderam passar por um momento de formação continuada e apropriação de resultados do programa, além de poderem apresentar práticas que foram implementadas ao longo do ano de 2019.

Em um momento de reflexão, os participantes do protótipo puderam avaliar como as suas práticas pedagógicas evoluíram em relação à observação de sala de aula, metodologias ativas e as aulas de trabalho pedagógico coletivo. Divididos em grupos, os educadores deram exemplos de como essas ações podem se concretizar na escola. “A metodologia de uma professora de ciências não estava despertando a curiosidade dos alunos, e eu estava estudando para compartilhar ideias; o que achei interessante foi ela subir em uma cadeira e tirar o sapato jogar ele e uma presilha no chão para explicar sobre a gravidade”, contou Maria Dulcinéia dos Santos, coordenadora do colégio Joaquim Alvares Cruz. “Depois do protótipo eu vi que para formar os professores você também precisa estudar”.

Após apresentarem um relato do andamento do projeto ao longo do ano, as escolas puderam participar de uma roda de conversa promovida pelo Instituto Ayrton Senna com José Morán, especialista em metodologias ativas e professor de Novas Tecnologias da USP. Em sua fala, que foi estendida aos demais participantes do evento em uma palestra, o educador falou sobre tipos de metodologias ativas e como o conjunto delas pode transformar a educação. “Quando a escola é transformada no seu currículo, espaços, formas de avaliar e na interação com a sociedade, sua relação fica mais horizontal em relação a todos os atores até evoluir para o conceito de escola como comunidade de aprendizagem”, disse.

Inova Educação

Visando garantir o desenvolvimento pleno dos estudantes paulistas desde o 6º ano do Ensino Fundamental até o 3º ano do Ensino Médio, a Secretaria de Educação do Estado de São Paulo trouxe mudanças estruturantes no currículo e proposta pedagógica das escolas estaduais, que serão expandidas para toda a rede a partir de 2020. O programa traz inovações educacionais que buscam estar mais alinhadas ao século 21 e à realidade e anseios dos estudantes, contanto para tal com diversos parceiros, inclusive o Instituto Ayrton Senna.

Considerando o Currículo Paulista e a Base Nacional Comum Curricular (BNCC), o projeto traz à rede uma perspectiva de educação integral apoiada pelo Instituto. “O Inova Educação quer mudar um pouco a chave e dialogar com o jovem, desenvolvendo competências socioemocionais para apoiar o desenvolvimento cognitivo”, diz Rossieli Soares, secretário de educação de São Paulo.

Entre as inovações na estrutura curricular e práticas pedagógicas estão a ampliação da jornada diária, inserção de componentes como Projeto de Vida, Eletivas e Tecnologia e um novo modelo de formação e desenvolvimento dos profissionais da rede. A iniciativa deve chegar a mais de 2 milhões de estudantes e 3800 escolas ainda em 2020.