Com apoio do Instituto Ayrton Senna, rede municipal de Manaus reduz índice de distorção idade-série de estudantes

Se Liga e Acelera Brasil são implementados na rede desde 2015 e já beneficiaram milhares de estudantes do Ensino Fundamental Anos Iniciais.

A implementação dos programas Se Liga e Acelera Brasil, do Instituto Ayrton Senna, apoiou a secretaria municipal de educação de Manaus a reduzir consideravelmente o índice de distorção idade-série dos estudantes do Ensino Fundamental Anos Iniciais. Segundo dados da primeira fase do Censo Escolar 2021, a taxa reduziu em mais de dois pontos percentuais, de 11,9% para 9,6%. É a primeira vez na história que as escolas municipais registram índice inferior a 10%.

A parceria do Instituto Ayrton Senna com a prefeitura de Manaus teve início em 2015, com a implementação de programas de correção de fluxo Se Liga e Acelera Brasil (para alunos com distorção idade série dos 3º, 4º e 5º anos do Ensino Fundamental) e os programas de reforço Fórmula da Vitória Língua Portuguesa (para alunos de 6 ao 9º ano com defasagem nas competências leitora e escritora) e Para Saber Mais/Pit Stop (para alunos do 3º ao 5º ano também com as mesmas dificuldades de leitura).

Desde 2018 a gestão desses programas passou a ser realizada integralmente pela própria rede municipal de ensino. “Devido ao nível de apropriação e a excelência do trabalho empreendido pela secretaria de educação de Manaus, a rede adquiriu autonomia de implementação dos programas Se Liga e Acelera e hoje é referência na região”, afirma Carlos Mandel, gerente de Canais e Alianças do Instituto.

Alfabetização e Correção de fluxo

O Se Liga e o Acelera Brasil foram um dos primeiros programas do Instituto Ayrton Senna. Nos últimos 20 anos, já transformaram a vida de milhões de crianças ao redor do Brasil. Uma avaliação de impacto realizada em 947 municípios mostrou que a adoção das propostas como política pública promoveu um avanço educacional até oito vezes a velocidade média dos municípios brasileiros.

Para o professor Ayleson Ramos Marques, da escola municipal Nazira Chamma Daou, de Manaus, um dos trunfos dos programas é atuar com a questão da vulnerabilidade social. “O ponto principal do programa é a metodologia.

Trabalhamos de forma prática, nos desprendendo um pouco do quadro branco e trabalhando com material concreto, onde acreditamos que o processo de ensino-aprendizagem acontece de forma espontânea, onde o estudante aprende brincando. Nós trabalhamos muito o socioemocional do aluno, além de questões voltadas para a realidade deles”, disse o educador.

Antes de fazer parte do programa, a estudante Jozielly de Oliveira Brandão, 12, estava no 4º ano do Ensino Fundamental Anos Iniciais. “O programa me ajudou, eu aprendi a ler e escrever. Eu estava no 4º ano e agora fui para o 6º. Eu estou muito feliz com isso. O professor me ajudou muito”, ressalta Jozielly.

Educação na pandemia

Coordenadora do programa em Manaus, Neuza Viana apontou que uma das chaves para esse resultado na rede municipal de Manaus foi a organização das escolas no retorno das aulas presenciais.

“Detectamos que no 4º ano os meninos, mesmo não estando em distorção, não estavam alfabetizados. O secretário determinou que oferecêssemos reforço presencial para eles com livro específico, acompanhamento de professor da rede e conseguimos 94% de alfabetização desses meninos e, consequentemente, eles não ficaram retidos e não vão ficar agora”, disse Neuza. A gestora destacou ainda a importância da busca ativa dos estudantes que haviam abandonado as escolas.

“Nos programas “Se Liga” e “Acelera Brasil”, todo um processo de busca foi feito por meio de tutores e assessores distritais para que nossas crianças voltassem. Fatores que contribuíram para que pudéssemos reduzir efetivamente esse índice. Então a rede se fortificou com gestores, assessores, professores, tutores a fim de que pudéssemos atender melhor nosso público e ele não desistisse da escola”, concluiu Neuza.

Para o secretário municipal de educação, Pauderney Avelino, o resultado é motivo de satisfação. “Pela primeira vez na história conseguimos um índice abaixo de 10% de distorção idade-série. É um momento histórico para a nossa secretaria”, pontuou.

*Conteúdo adaptado do material produzido pela Secretaria Municipal de Educação de Manaus após autorização.