publicado em 23.05.2016 ÀS 12:38

Ensino de programação chega a municípios do Rio Grande do Sul

23 de maio de 2016

O Instituto Ayrton Senna firmou parceria com três municípios e uma instituição de ensino superior para levar o letramento em programação a cerca de 150 estudantes das redes públicas de ensino

Conceitos básicos de programação de computadores vão ser usados para apoiar a aprendizagem e o desenvolvimento pleno de estudantes do 6º ano do ensino fundamental de três municípios do Rio Grande do Sul, a partir de uma parceria inovadora firmada nesta sexta‐feira (20) com o Instituto Ayrton Senna. A iniciativa vai ampliar o projeto já desenvolvido com a rede municipal de Itatiba (SP), e agora contará também com as experiências dos municípios de Sananduva, Passo Fundo e Marau, além do conhecimento da IMED, instituição de ensino superior que fez pesquisas sobre o tema.

O objetivo do projeto de Letramento em Programação do Instituto Ayrton Senna é que, com o uso de plataformas adequadas para a idade dos estudantes, as noções de lógica de programação de computadores e pensamento computacional (analisar informações e criar comandos ao computador para gerar uma ação) podem estimular o desenvolvimento de competências como resolução de problemas, criatividade, trabalho em grupo e comunicação. Assim, mais do que uma transmissão de conteúdos, a iniciativa visa o desenvolvimento integral dos estudantes.

No próximo mês, terá início a formação de professores de dez escolas dos municípios parceiros, e as aulas começam em agosto. No total, serão 150 estudantes. Ao final do ano, eles terão desenvolvido projetos próprios, como jogos e histórias animadas, a partir de plataformas gratuitas como Scratch, Code.org e App Inventor (todas online).

"Colocar a programação de computadores em pauta nas escolas é uma forma de alfabetizá‐las em mais essa linguagem do século 21", afirma Adelmo Eloy, coordenador do projeto. Ele destaca que o ensino da programação integrado ao currículo escolar já é uma realidade em alguns países e mostra resultados relevantes para a qualidade da educação. "No Brasil, essa realidade ainda se restringe a um universo muito pequeno de escolas. Nosso objetivo é dar escala a esse projeto na rede pública brasileira, e os municípios de Passo Fundo, Sananduva e Marau serão importantes parceiros nesse objetivo", acrescenta.

O coordenador da Escola Sistemas de Informação e Ciência da Computação da IMED, Amilton Martins, destaca a importância da formação plena. "A programação não é computação, e nessa abordagem não queremos profissionalizar, a intenção é usar essas práticas para apoiar o desenvolvimento da capacidade de raciocínio dos estudantes, sua tomada de decisão, atitudes de colaboração", afirmou.

"Para isso, não há idade certa ou errada, conhecemos experiências desde educação infantil até ensino médio. O que faremos é adequar as ferramentas e atividades para as habilidades de cada faixa etária e, assim, também pautar boas práticas para educadores e políticas públicas", disse Amilton, que irá apoiar a formação e acompanhamento dos professores das escolas envolvidas no projeto. Segundo ele, a intenção é reunir todos os envolvidos e criar um núcleo de multiplicação na região Norte do Estado. "Nossa ideia é reunir municípios em um Arranjo de Desenvolvimento de Educação, que funcionará como uma rede de colaboração. O objetivo é chegar a 20 municípios e formar uma legião de pessoas que acreditam no potencial da educação."

PROJETO
O projeto Letramento em Programação foi desenvolvido em 2015 pelo Instituto Ayrton Senna, por meio de uma parceria com a rede pública de ensino de Itatiba, no interior de São Paulo, e com a Universidade São Francisco (USF). A iniciativa, presente em 11 escolas da cidade, capacitou 33 educadores e beneficiou cerca de 380 estudantes.



Digite o assunto que deseja pesquisar

Comentar
Mensagem
Comentários