publicado em 27.09.2016 ÀS 12:37

Aprendizagem em tecnologia

27 de setembro de 2016

Alunos de 11 escolas públicas do Rio Grande do Sul estão sendo "alfabetizados" em pensamento computacional desde este segundo semestre. São cerca de 150 estudantes do 6º ano do ensino fundamental, participantes do programa Letramento em Programação, parceria do Instituto Ayrton Senna com as prefeituras de Passo Fundo, Marau e Sananduva e o centro de ensino superior Imed.

O projeto do Instituto Ayrton Senna, que também é realizado em Itatiba (SP), tem o objetivo de apresentar o pensamento computacional para os jovens, para que eles se apropriem dos fundamentos da criatividade e resolução de problemas por meio de algoritmos.

"O letramento em programação é uma aposta mundial para levar os jovens, com sua paixão natural pela tecnologia, a uma experiência educacional rica e motivadora, capaz de mobilizar os aprendizes para a solução de problemas complexos em uma lógica de descoberta e experimentação", explica Amílton Martins, professor do Imed e parceiro do Instituto Ayrton Senna na implementação do projeto no Rio Grande do Sul.

Martins destaca que a ideia não é formar pequenos programadores, mas mostrar uma ferramenta para que os jovens pratiquem suas ideias e procurem soluções incomuns para os problemas e "cenários complexos e caóticos, exatamente como é o mundo deles hoje em dia". Ao final do curso, as crianças devem ser capazes de diagnosticar um problema, planejar e criar soluções usando a tecnologia voltada para a descoberta.

 

Quer saber mais?

A revista Neuroeducação, publicada pela Editora Segmento, tem algumas edições viabilizadas por meio de uma parceria com o Instituto Ayrton Senna e o Movimento A Indústria Pela Educação. A publicação é vendida em bancas, custa R$ 14,90 e é trimestral. A revista também pode ser comprada via online, no site da Editora Segmento.

Digite o assunto que deseja pesquisar

Comentar
Mensagem
Comentários