publicado em 16.12.2019 ÀS 11:11

Programação sob a perspectiva da Educação Integral

Com a popularização de novas tecnologias e a transformação digital em diversos processos do dia a dia, é sempre válido lembrar do quanto a programação é fundamental para que tudo isso funcione. O entendimento dessa atividade também pode ser uma poderosa ferramenta de aprendizagem e promoção da Educação Integral.

O Instituto Ayrton Senna defende a Educação Integral como chave para contribuir com o desenvolvimento pleno do ser humano, tanto na dimensão cognitiva quanto na socioemocional. Ela é um caminho para preparar o estudantes para enfrentarem os desafios do século 21 e construir o futuro.

Aprender a linguagem de programação contribui imensamente para esse fim. Isso se dá ao oferecer apoio a professores de diferentes áreas do conhecimento para desmistificação e empoderamento no uso dessas ferramentas no contexto escolar.

 

A relevância do letramento em programação

O domínio de múltiplas linguagens é uma das várias exigências do século 21 para as novas gerações: das crianças e jovens da atualidade, é esperado não só que compreendam as tecnologias como também sejam capazes de criar a partir delas.

Além disso, o conceito de letramento se transformou bastante nos últimos anos. Hoje, falamos em letramento digital para se referir ao domínio dessas ferramentas, atribuindo sentido ao que é acessado por esses meios e produzindo novas criações nesse contexto.

Isso ocorre por meio das práticas de construção e expressão no mundo digital usando a programação de computadores. Portanto, é natural que pensemos também em letramento em programação.

 

O letramento em programação na educação integral

A quinta macro competência descrita pela BNCC, referente à cultura digital, tem relação com a programação sob a perspectiva do desenvolvimento do pensamento computacional:

Compreender, utilizar e criar tecnologias digitais de informação e comunicação de forma crítica, significativa, reflexiva e ética nas diversas práticas sociais (incluindo as escolares) para se comunicar, acessar e disseminar informações, produzir conhecimentos, resolver problemas e exercer protagonismo e autoria na vida pessoal e coletiva.
Base Nacional Comum Curricular 

Além disso, ao letrar os estudantes em linguagem de programação, é possível criar oportunidades de desenvolvimento de habilidades e competências para a vida, como:

  • criar e expressar ideias utilizando linguagem de programação;

  • comunicar ideias claras e significativas a partir das experiências e aprendizados estruturados pela construção de artefatos computacionais;

  • atuar de forma colaborativa com os pares no desenvolvimento e na troca de projetos;

  • identificar e solucionar problemas computacionais, aplicando os aprendizados em contextos que vão além da escola.

Isso pode ser potencializado a partir de parcerias com Secretarias de Educação e instituições de Ensino Superior locais para ajudar a formar professores orientados a essa prática, compartilhando caminhos para o desenvolvimento de atividades de introdução à programação de computadores na Educação Básica sob a perspectiva da Educação Integral.

Para que tudo isso seja possível, um dos pontos mais decisivos desse processo consiste em desmistificar a programação e empoderar professores e estudantes no uso dessas ferramentas no contexto escolar. Isso deve ocorrer por meio da vivência de práticas de construção e expressão no mundo digital a partir dessa atividade.

Aproveite as informações deste artigo para implementar novas iniciativas em sua escola. Dominar múltiplas linguagens é fundamental para uma formação integral para o século 21. Assim, os estudantes poderão se tornar mais capazes de não só compreenderem a tecnologia, como também usar sua imaginação para criar a partir dela.

 

Digite o assunto que deseja pesquisar

Comentar
Mensagem
Comentários