publicado em 2 de junho de 2021

Instituto Ayrton Senna e Efape realizam formação com as diretorias de ensino sobre o mapeamento socioemocional de estudantes da rede paulista

Transmissão online da formação contou com a participação de 3 mil educadores

No dia 28 de maio, o Instituto Ayrton Senna (IAS) e a Escola de Formação e Aperfeiçoamento dos Profissionais da Educação (EFAPE) realizaram a formação “Política de educação integral: um olhar para a avaliação socioemocional – Devolutiva do Instrumento Senna”, que reuniu cerca de 3 mil gestores da rede estadual para significar os principais resultados do mapeamento socioemocional de estudantes, realizado em parceria com a Secretaria de Educação de São Paulo (SEDUC-SP) em 2019 e que teve seus resultados e análises divulgados neste mês. Transmitida pelo Centro de Mídias de São Paulo, a formação foi realizada por especialistas do Instituto, Edna Aparecida Borges e Gisele Alves, e pela formadora da EFAPE, Elisângela Aparecida de Moura.

Para Marcelo Jerônimo, assessor técnico da Efape, a formação com os gestores está associada ao processo de apropriação dos dados de diagnóstico do mapeamento. “A iniciativa é extremamente estratégica porque traz as evidências de como o estudante paulista está em seu socioemocional e como isso contribui para a realização de um ensino de qualidade, fundamentado no desenvolvimento das competências socioemocionais dos nossos estudantes, com mais intencionalidade e voltado para a educação integral”, explica.

A formadora Elisângela destaca a importância da ação em um momento em que, mais do que nunca, é preciso olhar para o socioemocional dos estudantes. “A divulgação do mapeamento é extremamente relevante, pois muitos estudantes se sentem perdidos desde que o contexto de pandemia se instalou. Como não sabemos ainda até quando teremos esse cenário, teremos melhores resultados quanto mais pudermos auxiliar nossos principais atores nesse processo de ensino-aprendizagem”, afirma Elisângela. “A devolutiva foi primordial e essencial para que todos os educadores possam ter acesso aos dados e acompanhar de mais perto os nossos estudantes, conseguindo com isso elaborar, ressignificar e revisitar estratégias, fazendo um plano de ação com a cara e com o coração dos estudantes”, comenta a formadora.

Para Natália Storace, gerente de projetos no Instituto, a iniciativa representa uma importante etapa da parceria firmada com a SEDUC-SP.  “Uma ação formativa nesse perfil amarra com os gestores regionais e gestores escolares evidências sobre as competências mais associadas ao aprendizado e as mais contributivas para o desempenho escolar de maneira prática. Ainda, consolida em mais uma etapa o apoio do IAS na parceria com a SEDUC-SP a estarem mais próximos dos seus objetivos estratégicos, tendo em vista a implementação da Política de Educação Integral à rede do estado de São Paulo”, aponta Natália.

A partir da formação, os gestores poderão orientar a utilização dos dados para o desenho de estratégias que priorizem as competências mais relevantes para cada ponto de vista. Essa ação é parte de um conjunto de iniciativas que, entre outras, envolve também o monitoramento socioemocional dos próprios educadores, em um processo de coleta que acontece até o dia 10 de junho.