LETRAMENTO EM PROGRAMAÇÃO

A iniciativa

O século 21 exige que as novas gerações dominem múltiplas linguagens, entre elas a computacional. Assim, crianças e jovens poderão ser mais do que usuários da tecnologia, mas também criadores dela, sendo capazes de atender às novas demandas da sociedade e transformar realidades. Este programa busca, por meio do pensamento computacional e das linguagens de programação, desenvolver competências e promover a educação integral.

Como funciona

Por meio da formação de educadores e parcerias com instituições do ensino superior, a proposta amplia a inserção dos alunos no universo digital utilizando ferramentas gratuitas de programação computacional. Ao programar e construir projetos com o uso da programação, os estudantes desenvolvem competências cognitivas e socioemocionais fundamentais para a vida no século 21, como criatividade, resolução de problemas e cooperação.

Resultados

No ano de 2018, a solução envolveu mais de 3 mil estudantes, em 19 municípios espalhados por quatro estados. O programa também realizou a formação de mais de 180 educadores, possibilitando-os a expandir as suas competências e gerar ainda mais impacto nas suas escolas. Indo além do desenvolvimento das habilidades computacionais, a proposta vem aumentando o engajamento dos alunos com a sua educação, contribuindo para sua aprendizagem em todas as áreas.

ONDE ACONTECE

COMO A INICIATIVA FUNCIONA



Com o objetivo de contribuir com a promoção da educação integral e o desenvolvimento de competências socioemocionais, o Letramento em Programação é aplicado em escolas públicas de redes parceiras do Instituto por meio da formação de educadores, tornando-os aptos a desenvolverem atividades relacionadas ao tema em sala de aula, e da parceria com instituições de ensino superior locais.

Por meio de trilhas de atividades específicas do 4º ao 9º ano do Ensino Fundamental, os estudantes são convidados a explorar conceitos e práticas do pensamento computacional por meio de vivências lúdicas e orientadas ao desenvolvimento de projetos. As atividades são desenvolvidas ao longo do ano letivo, podendo ocorrer no decorrer das aulas ou no contraturno escolar, conforme a realidade de cada rede. Os estudantes são desafiados a construir artefatos com o auxílio das linguagens de programação trabalhando em times para a construção de jogos, aplicativos e outras mídias, compartilhando e comemorando seus aprendizados em eventos com toda a comunidade escolar.

Letrados em linguagens de programação diversas, estudantes e professores podem ampliar suas capacidades de criação e expansão no mundo digital.

Quem já participa

Em 2015, a rede municipal de Itatiba (SP) foi a primeira a desenvolver o programa,  envolvendo 13 profissionais e 170 alunos, e segue apoiando a iniciativa. Em 2016, houve um crescimento de 220% no número de alunos e 230% no de profissionais, entre professores de diversas disciplinas, coordenadores e monitores (especialistas da área de computação, que oferecem suporte técnico aos docentes). No município, o programa também conta com parceria com a Universidade São Francisco, que ofereceu espaço e profissionais para acompanhar as atividades, além de contribuir com a formação de conhecimento sobre o tema. Em 2017, ações em caráter de piloto foram expandidas para os municípios de Morungaba (SP) e Vinhedo (SP). Um outro polo regional está sendo desenvolvido em parceria com a Faculdade Meridional (IMED), instituição de ensino superior que faz pesquisas na área, e as secretarias de Educação dos municípios de Carazinho, Coxilha, Lagoa Vermelha, Marau, Passo Fundo, Sananduva e Tapejara, todos no estado do Rio Grande do Sul. Em 2018, o Letramento continuou se expandindo: agora está presente também nos municípios de Manhuaçu, em Minas Gerais, e Teresina, no Piauí.

O Tech Oscar

Como um momento de culminância das ações do projeto ao longo do ano, o Tech Oscar é um evento que tem como objetivo mostrar à comunidade escolar, os projetos desenvolvidos durante as aulas do Letramento em Programação. A ocasião envolve pais, estudantes, professores e pessoas interessadas pelo tema de dentro e fora da comunidade escolar.  Com o nome de Scratch Oscar, a primeira edição aconteceu em Itatiba (SP) em 2015, se espalhando por todos os territórios do projeto. Abraçando as características locais, cada município dá um nome ao evento, que também conta com diferentes configurações em suas diferentes edições.

Ao oferecer aos estudantes uma oportunidade de apresentar seus projetos, o Tech Oscar promove o protagonismo estudantil e a multiplicação de saberes. Os jovens têm a chance de serem reconhecidos pelo seu desenvolvimento e se engajam com sua comunidade a partir das inovações  criadas nas aulas do projeto.

“A gente caminhar pela sala e ver as crianças sorrindo, as crianças demonstrando para você com alegria o Software, seja o aplicativo, seja o jogo que elas criaram. O mais importante é mostrar que aquilo para elas tem valor”

Marcelo Bardi (Assessor da Pró-Reitoria de ensino da universidade de São Francisco).

arte-atualização-let-prog-0719


MOMENTOS DO LETRAMENTO EM PROGRAMAÇÃO