Educação pelo Esporte

A iniciativa

Desde o início da sua atuação, o Instituto investe no potencial educativo das práticas esportivas para desenvolver competências para a vida. Além de promover o desenvolvimento de competências socioemocionais (como respeito, persistência e colaboração), o esporte também contribui para o desenvolvimento de aspectos cognitivos, como atenção e memória, como provam as pesquisas científicas que correlacionam corpo e aprendizagem. Baseado da concepção de esporte como via para o desenvolvimento humano, o Instituto criou, em 1995, a solução Educação pelo Esporte, que serviu como laboratório para diversas aprendizagens posteriormente incorporadas em outras soluções educacionais e ações de mobilização em prol da educação integral.

Como funciona

Iniciando a atuação por meio de parceria com a Universidade de São Paulo, o Educação pelo Esporte teve sequência em anos seguintes com outras instituições de ensino superior, especialmente em projetos de extensão universitária. A partir de 2008, os projetos estavam funcionando com ampla autonomia para seguirem sozinhos em suas atuações. Partindo das aprendizagens da solução e das evidências de diversas pesquisas científicas, o Instituto passou incorporar o esporte e outras formas de cultura corporal como estratégia para o desenvolvimento integral de crianças e jovens em várias outras soluções educacionais e advogar pela inclusão da dimensão corporal nos currículos de educação integral.

Resultados

De 1995 a 2012, o Educação pelo Esporte beneficiou mais de 90 mil crianças e jovens em 12 estados brasileiros e formou centenas de educadores, em parceria com 14 universidades em mais de 37 municípios. Avaliações conduzidas ao longo dos anos de parceria mostram que, participando da iniciativa, os alunos tinham uma aprovação média de 90% na escola contra 80% da média nacional, e em geral, 75% deles desenvolveram habilidades cognitivas e socioemocionais enquanto participando da solução durante mais de um ano.

Saiba mais sobre o Educação pelo Esporte

A visão do esporte como via para desenvolvimento integral do estudante, incluindo iniciativas dentro e fora da escola, foi incorporada a outras soluções educacionais do Instituto Ayrton Senna, por meio de atividades que refletem sobre o uso do corpo em situações diferentes do tradicional e, com isso, engajam os alunos na aprendizagem. Isso aconteceu no Programa Educação pela Arte (através da dança, em especial), e está no tratamento dado à disciplina de Educação Física da proposta de Educação Integral para o Ensino Médio (atualmente implementada em parceria com as secretarias estaduais de Educação do Rio de Janeiro e de Santa Catarina ), na qual a disciplina integra a área de Linguagens e promove projetos interdisciplinares.

A importância do movimento no desenvolvimento e aprendizagem das crianças se faz presente também na solução educacional Gestão da Política de Alfabetização, pois as práticas corporais são meios de expressão não-verbal e auxiliam os alunos a desenvolverem um repertório de linguagem corporal genuíno, tanto de expressão de si quanto de leitura e compreensão dos outros.

...Conheça alguns destaques do programa 

Esporte Talento

Thiago participou por quase quatro anos do projeto Esporte Talento da USP, criado em 1995, no âmbito do programa Educação pelo Esporte.
No programa, ele praticava canoagem e tinha o compromisso de ser um bom aluno. Este foi o início de uma trajetória de superação, que resultou até em medalha de ouro nas Olimpíadas de Londres. 

Rede de esporte

O Instituto Ayrton Senna é um dos 86 membros da REMS, organização que reúne instituições do terceiro setor que atuam para promover inserção social a partir de práticas ligadas aos esportes.

Valorização da cultura corporal no Ensino Médio

A experiência de valorizar a educação física como parte do currículo de linguagens, desenvolvida pelo Instituto Ayrton Senna e a Secretaria Estadual de Educação do Rio de Janeiro, no Colégio Estadual Chico Anysio, foi destacada na nova edição da Revista Neuroeducação.

Conferência global realizada no Vaticano

Em outubro de 2016, o Instituto Ayrton Senna participou da 1ª Conferência Global “Esporte a serviço da humanidade”, realizada em Roma, na Itália, e organizada pelo Vaticano. O evento colocou luz sobre a necessidade de investir em ações relacionadas aos esportes que promovam o desenvolvimento integral do ser humano.

A prática de esportes não é apenas um símbolo de cuidado com a saúde. Os esportes são uma ferramenta de integração e inclusão social.

Como funciona a iniciativa 

A atuação para disseminar a visão do esporte como meio para o desenvolvimento integral tem passado também pelas diversas áreas de estudos e conhecimentos sobre o tema. Nos últimos anos, a área de Educação Física apresentou grandes avanços na produção acadêmica, mas há uma fragilidade na transposição dos conhecimentos da cultura corporal para práticas escolares. Em busca de preencher esta lacuna, o Instituto Ayrton Senna apoia a Rede Nacional de Ciência para Educação (CpE).

Pesquisadores vinculados à Rede CpE realizam estudos sobre a relação entre corpo e aprendizagem, entre outros temas. Diversas análises indicam que fatores fisiológicos e a maneira como tratamos o corpo na escola têm impactos na aprendizagem e nas capacidades cognitivas, além de sugerirem estreita relação entre níveis de atividade física e bem-estar geral, bem como em competências socioemocionais como comunicação, cooperação e resiliência. O Instituto Ayrton Senna apoia a produção de evidências de forma interdisciplinar sobre esses conhecimentos e incentiva a articulação entre o conteúdo e a prática de educadores, por meio de ações de disseminação.

Da mesma forma, o Instituto entende que é preciso atuar para subsidiar a construção de políticas públicas educacionais com ações articuladas para promover a qualidade da educação física escolar. Entre outras medidas, mantém parceria técnica com a Universidade de São Paulo para iniciativas que referendam nacionalmente e internacionalmente os princípios do programa, incluindo publicações e organização de seminários. E integra a Rede do Esporte pela Mudança Social (REMS), que reúne organizações que atuam com o esporte pela mudança social.

Em outubro de 2016, o Instituto Ayrton Senna participou da 1ª Conferência Global “Esporte a Serviço da Humanidade”, realizada em Roma, na Itália, e organizada pelo Vaticano. O evento colocou luz sobre a necessidade de investir em ações relacionadas aos esportes que promovam o desenvolvimento integral do ser humano.