Qual é o papel do gestor escolar?

A atuação desse profissional tem papel determinante na qualidade da educação e nos comportamentos de rotina de todos os "atores escolares".



Como líder da comunidade educativa, o diretor da escola atua como um maestro cuja principal função é reger uma orquestra harmônica da sua escola dentro dos quatro âmbitos da gestão educacional:
 

  • Aprendizagem – essa área é o termômetro do sucesso ou do fracasso de todo e qualquer investimento em educação. De nada adiantam leis, recursos financeiros, capacitações, contratações ou construções de prédios escolares se os resultados revelam que os alunos não aprendem e, consequentemente, acabam por serem excluídos do mundo da cidadania. O aluno é o grande gestor desta dimensão.
     

  • Ensino – é tudo o que é compartilhado pelo professor e pelo coordenador pedagógico da escola, com base no plano de ensino devidamente articulado à proposta pedagógica. Os resultados da aprendizagem forçosamente levam à avaliação do ensino: o aluno não aprendeu; será que lhe foi ensinado? O ensino é coerente com as necessidades dos alunos? O professor está preparado para desempenhar seu trabalho a contento? O professor e os coordenadores trabalham de forma articulada?
     

  • Rotina escolar – é possível, também, que a aprendizagem não tenha ocorrido por um problema na rotina da escola. Qual teria sido o motivo? Nesse momento é preciso se questionar: o professor esteve presente? A duração das aulas é respeitada? As salas de aula estão em ordem? Aqui entra o diretor da escola, articulado com a Secretaria de Educação e responsável pela elaboração e pelo cumprimento do Plano de Metas, elaborado pela comunidade escolar em acordo com o PPP.
     

  • Política educacional – nessa área acontece a interface entre a escola, que dá concretude à política educacional, e a Secretaria de Educação, responsável pela normatização. Assim, a própria política educacional acaba por ser questionada e avaliada: em que medida a Secretaria definiu o mínimo a ser desenvolvido por todos os alunos? Ela tem garantido a infraestrutura necessária às ações definidas e planejadas pelas escolas?

Cabe ao gestor escolar a superação dos desafios do dia a dia que impedem o bom funcionamento da escola, comprometem o sucesso escolar e prejudica o aprendizado do aluno. Esses desafios têm causas multifatoriais que vão desde as relações entre Secretaria de Educação e a escola até questões de infraestrutura e falta de motivação do professor que podem causar reprovações, abandono e distorção idade-série.  


O diretor deve refletir se as práticas administrativas e gerenciais adotadas em sua escola contribuem para solucionar esses e outros desafios e se, efetivamente, estão comprometidas com os resultados desejados  para a aprendizagem dos alunos.

Em um olhar mais macro, diretor, equipe escolar e equipe das Secretarias de Educação devem estar atentos, em conjunto, à política definida e ao currículo adotado, pois serão eles que darão parâmetros ao trabalho pedagógico responsável pelo desenvolvimento integral dos alunos.


O analfabetismo, os baixos níveis de aprendizagem, as repetências contínuas, a evasão e o abandono escolar são alguns dos efeitos perversos da má qualidade da educação. A raiz desses problemas pode estar em uma gestão educacional ineficaz.


Para evitar tais desdobramentos, é função do gestor escolar:

  • Liderar e motivar a equipe;

  • Coordenar a  elaboração do Projeto Político Pedagógico;

  • Aproximar as famílias da escola e envolver a comunidade na busca pela qualidade da educação;

  • Organizar a rotina escolar, zelando pelo cumprimento do calendário escolar e pela presença integral dos educadores;

  • Conhecer e otimizar os recursos humanos, materiais e financeiros à disposição na unidade escolar;

  • Acompanhar os processos de aprendizagem e de ensino e intervir quando os resultados se mostrarem frágeis, além de conhecer e reconhecer os bons desempenhos;

  • Estimular e criar condições para que os profissionais da escola se capacitem em formações continuadas e em serviço.


Cabe ao diretor, junto com sua equipe, estabelecer diretrizes de trabalho, garantir condições objetivas para o exercício das funções e olhar atentamente para as necessidades formativas de cada um, com base nos indicadores de aprendizagem dos alunos e em avaliações de processos internos.


E, para isso, deve-se recorrer às ferramentas e técnicas de gestão.

 

Quer saber quais são elas? Continue acompanhando nossa página de materiais de educação e redes sociais, na próxima semana publicaremos um material sobre esse tema!

 

Clique para baixar o e-book sobre as competências socioemocionais nos cotidianos escolares

Digite o assunto que deseja pesquisar

Comentar
Mensagem
Comentários