Digite o assunto que deseja pesquisar

publicado em 05.09.2017 ÀS 15:41

0 VISUALIZAÇÃO 0 0 0

Desempenho em escolas com educação integral em SC é maior do que nas de turno único

Estudantes de Santa Catarina que estão nas escolas com educação integral no Ensino Médio tiveram níveis de aprovação e aprendizagem mais altos que a média de escolas com ensino médio regular, segundo um levantamento do Instituto Ayrton Senna. Os dados são referentes ao primeiro bimestre de 2017 e, ainda que seja apenas uma análise preliminar, indicam que o ambiente de aprendizagem construído nessas unidades pode favorecer o desenvolvimento pleno dos estudantes.

Para o levantamento, as performances das turmas de 1º ano do Ensino Médio das 15 escolas com educação integral em tempo integral foram comparadas com as de turmas de 92 escolas do ensino regular no Estado. Nas 15 escolas, as taxas de aprovação (supondo que o desempenho no final do primeiro bimestre fosse utilizado para aprovar ou reprovar os estudantes por nota ou frequência em pelo menos uma disciplina) seriam de 88%. Já nas escolas do grupo de comparação, seriam de 76%. Considerando o desempenho em Matemática, as médias são de 7,3 no primeiro grupo e de 6,5 nas escolas de ensino regular, uma diferença de 12%. Em Língua Portuguesa, a média é de 6,7 no segundo grupo e 7,3 nas 15 escolas, cerca de 9% maior.

Os dados não integram uma avaliação de impacto, e são necessárias outras análises para poder de fato atribuir o resultado à participação dos jovens na proposta desenvolvida nessas escolas. Mas não deixam de ser indicadores que apontam para as possibilidades de aprendizagem na proposta de educação integral. Nessas escolas, a Secretaria Estadual de Educação desenvolve, em parceria com o Instituto Ayrton Senna e o Instituto Natura, a modalidade de ensino que além de ampliar o tempo de permanência na escola (45 horas semanais), também busca oferecer uma educação que prepare os jovens para viver com mais autonomia e conquistar mais realizações ao longo da vida.

Para isso, os professores e gestores envolvidos no trabalho dessas 15 escolas participam de ações específicas de formação para compartilhar novas metodologias de trabalho, realizar planejamentos em conjunto e utilizar ferramentas de acompanhamento das ações com objetivo de ampliar o engajamento de todos. Além disso, nas escolas há maior integração curricular, tanto pelo trabalho por áreas de conhecimento (Matemática, Ciências da Natureza, Ciências Humanas e Linguagens), quanto por novos momentos do currículo para realização de projetos (momentos estruturados para o jovem refletir e atuar sobre seu projeto de vida, seu estudo e em iniciativas de pesquisa e intervenção na comunidade escolar).

O gerente de projetos do Instituto Ayrton Senna Helton Souto Lima atribui o bom desempenho ao ambiente participativo construído nessas escolas. “O planejamento integrado tem possibilitado aos alunos um apoio no aprendizado que não fique só na mão do professor de cada disciplina. Os estudantes também trabalham em times, o que fomenta o trabalho colaborativo e a aprendizagem conjunta”, comentou.

Clique aqui para saber mais sobre a proposta de educação integral desenvolvida nas escolas parceiras.

Veja mais:

Gestores e professores de Santa Catarina participam de formação presencial com Instituto

Início das aulas mobiliza mais de 1.400 alunos de Educação Integral no Ensino Médio em Santa Catarina

 

Comentar
Mensagem
Comentários